App Moovit lança recursos de acessibilidade para cegas

Versão 4.10 integra o app às funcionalidades VoiceOver e TalkBack para iOS e Android, respectivamente, que tornam a tela dos aparelhos acessível
O aplicativo Moovit lançou uma nova versão que inclui recursos que ajudarão pessoas com deficiência visual a se locomoverem com maior facilidade ao utilizarem o transporte público.
A versão 4.10 integra o app às funcionalidades VoiceOver e TalkBack (para iOS e Android, respectivamente), que tornam a tela dos aparelhos acessível.
As mudanças incorporadas agora permitem que uma pessoa com deficiência visual use um dos leitores de acessibilidade para planejar sua viagem, além de terem acesso a todas as outras funcionalidades do Moovit.
Segundo o Moovit, para incluir os recursos de acessibilidade a companhia trabalhou com um desenvolvedor cego que relatou sua experiência em primeira pessoa e forneceu feedbacks que ajudaram a assegurar que a nova versão seria eficiente e de fácil utilização aos usuários com deficiência visual.
A integração com as novas funcionalidades permite que o usuário pressione seu dedo na tela do celular e então ouça qual botão ou ícone está sendo visualizado, aprimorando a experiência de navegação e permitindo que deficientes visuais planejem suas viagens e rotas com mais facilidade.
“Para usuários com algum tipo de deficiência visual, planejar sua rota com antecedência é importante para se familiarizar com o caminho e ter mais segurança ao andar no transporte público”, comenta Adi Kushnir, deficiente visual que ajudou a desenvolver a nova versão do Moovit.
Novos recursos em acessibilidade devem ser testados pelo Moovit futuramente e incorporados às novas versões do app.
Além da inclusão de funcionalidades para deficientes visuais, a versão 4.10 do Moovit incorpora a função de conectar usuários às suas contas no Facebook e no Google, de modo a sincronizar suas linhas, locais e pontos favoritos e outras preferências na nuvem, disponibilizando todas as informações de modo mais fácil.

Fonte: IDGNOW

Prefeitura de Curitiba instala 120 semáforos que aumentam tempo para atravessar rua.

Sistema é voltado para pedestres com dificuldades de locomoção.
Confira a lista com os trechos onde estão instalados os semáforos.

Cento e vinte novos semáforos serão instalados a partir desta terça-feira (14) em 31 pontos da cidade para facilitar ajudar pedestres com dificuldades de locomoção a atravessar ruas. O sistema funciona com o cartão usado para a gratuidade no transporte coletivo. Idosos e portadores de deficiência física devem aproximar o cartão do equipamento. Com isso, o tempo do semáforo aberto para os pedestres aumenta de 12 segundos para 18 segundos.

Uma das razões que levou a prefeitura a testar o sistema foi o número de idosos que foram vítimas de acidentes de trânsito nos últimos anos. Conforme dados do projeto Vida no Trânsito, 40% das vítimas fatais de atropelamentos em Curitiba, em 2012, estavam nessa faixa etária. Em 2013, o índice ainda estava em 35%.

Fonte: http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2015/04/prefeitura-de-curitiba-instala-120-semaforos-especiais-para-idosos.html

Táxis deverão ter plaquetas em braile com identificação para passageiros com deficiência visual

No informe, deverá constar a placa dos veículos.

Em três meses, todos os táxis que circulam no estado deverão ter plaquetas em braile informando a placa do veículo para que os passageiros com deficiência visual possam identificá-los. A exigência consta na Lei 15.479, publicada nessa quinta-feira (16) no Diário Oficial.

As plaquetas deverão ser confeccionadas em formato padrão com 4cm x 7cm e podem ser de acetato ou outro material similar. Os informes deverão ser afixados no painel da frente ao banco do carona e na porta traseira do lado direito do veículo. Os espaços foram regulamentados para possibilitar o toque por parte dos passageiros.

Os taxistas que não cumprirem a exigência ficarão expostos a sanções administrativas.

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2015/04/17/interna_vidaurbana,572072/taxis-deverao-ter-plaquetas-em-braile-com-identificacao-para-passageiros-com-deficiencia-visual.shtml

Cegos entram com ação contra aplicativo Uber nos EUA

Serviço de caronas é acusado de se recusar a transportar cão-guia.
Federação de Deficientes Visuais da Califórnia entrou com processo.

A Uber Technologies precisa se defender contra um processo judicial no qual o serviço de caronas é acusado de discriminar deficientes visuais ao se recusar a transportar cão-guia, decidiu um juiz federal.

Em decisão proferida na sexta-feira à noite, o juiz Nathanael Cousins de San Jose, Califórnia, disse que os pleiteantes podem alegar que o Uber é um “serviço de viagens”, alvo de potenciais obrigações frente ao ato de proteção aos deficientes norte-americanos.

O juiz também rejeitou os argumentos do Uber de que os pleiteantes, incluindo a Federação Nacional de Deficientes Visuais da Califórnia, não poderiam processar a empresa citando as leis federais e estaduais de proteção aos deficientes.

O Uber recebeu 14 dias para responder formalmente à reclamação. A companhia e seus advogados não responderam nesta segunda-feira (20) a pedidos de comentários. A federação de deficientes visuais e advogados dos pleiteantes não responderam imediatamente a pedidos semelhantes.

Serviço de transporte

Avaliado em 40 bilhões de dólares, o Uber diz oferecer seu serviço de transporte por aplicativo de telefone em mais de 270 cidades e áreas geográficas de 56 países, e pode cobrar preços variados de acordo com a demanda.

Mas a companhia com sede em San Francisco enfrenta reclamações em diversos países sobre como paga seus motoristas, trata passageiros e garante a segurança.

No caso sobre discriminação, os pleiteantes disseram que a legislação federal requer que operadores de serviços de táxi tais como o Uber levem animais com passageiros com deficiência visual, mas que tem conhecimento de mais de 40 casos em que motoristas do Uber se recusaram levá-los.

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2015/04/deficientes-visuais-entram-com-acao-contra-aplicativo-uber-nos-eua.html

Aplicativo apoia pessoas cegas

O aplicativo Cittabus, já conhecido pelos usuários de ônibus no Recife,
acaba de ganhar uma versão para deficientes visuais. Chamada de Cittabus
Acessibilidade, a novidade funciona por meio de um dispositivo de voz
que localiza onde o usuário está e quais as paradas mais próximas.
Escolhendo uma delas, a pessoa tem acesso às linhas que passam no ponto
e em quanto tempo os ônibus chegarão.
Apresentada ontem pelo Sindicato das Empresas de Transporte de
Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) em conjunto com a
Cittati, empresa responsável pela aplicação do software, a tecnologia já
está disponível para download na Apple Store, para aparelhos com sistema
operacional iOS, e na Google Play, para Android.
Desenvolvido pelo programador Luiz Eduardo de Oliveira, o software
promete ser um passo importante para proporcionar maior autonomia ao
deficiente visual em relação à mobilidade. “Pensei no aplicativo com o
objetivo de ajudar a todos nós deficientes. Com ele, damos um passo
importante para garantir mais independência”, destacou ele, que há 23
anos convive com a cegueira.
A professora brailista Ketyanne Santos, 28 anos, é uma das beneficiadas
pelo aplicativo e se disse satisfeita. “Não precisaremos gastar tanto
tempo nas paradas. Às vezes, os pontos são pouco movimentados e temos
que parar vários ônibus até saber qual é o do nosso destino. Com o
aplicativo, teremos uma noção aproximada do momento em que ele vai
passar”, afirmou.
Além da tecnologia, a Urbana-PE e o Cittati lançaram também o projeto
Wifi nas Paradas, que vai oferecer internet gratuita em 10 pontos de
ônibus da capital pernambucana. Para navegar, basta que o usuário entre
na rede aberta com o nome Cittabus. As paradas que receberão a
iniciativa ainda estão sendo definidas pela Urbana-PE. A expectativa é
que na próxima semana o serviço já esteja funcionando. Os pontos terão
adesivos para serem identificadas.
O Cittabus foi lançado em fevereiro passado e já tinha a proposta de
auxiliar deficientes ao disponibilizar quais os veículos adaptados para
cadeirantes estariam circulando. O aplicativo já contabiliza 60 mil
downloads somente no Recife e conta com 57 mil usuários espalhados pelo
Brasil. Dez empresas já possuem cadastro no aplicativo.