Desfile na Sapucaí terá audiodescrição

Serão disponibilizados 50 fones de ouvido para pessoas com deficiência visual.

O desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí (Rio de Janeiro) terá este ano um sistema de audiodescrição para deficientes visuais. Um narrador profissional, que ficará numa cabine, passará os detalhes dos desfiles aos participantes. Serão disponibilizados 50 fones de ouvido na frisa do Setor 13.
A secretária municipal da Pessoa com Deficiência, Georgette Vidor, explicou que haverá descrição das alegorias, das fantasias, dos efeitos especiais e movimentos dos componentes das escolas. As fantasias que costumam ser deixadas na passarela ao final do desfile serão levadas ao Setor 13 para que os deficientes visuais possam sentir a textura e os adereços das roupas e máscaras.
“Os deficientes visuais não costumam ir muito [aos desfiles], porque mesmo com uma pessoa do lado falando e com a música não é o mesmo que uma um técnico apresentando um roteiro para o entendimento do que a escola está apresentando”, disse a secretária.
Georgette Vidor afirmou que pretende conversar com vereadores para transformar a iniciativa em projeto de lei. “Assim haverá mais interesse por parte desse público e é o mínimo que podemos fazer para que os direitos das pessoas com deficiência sejam respeitados.”
O serviço estará disponível em todos os dias de desfile do Grupo de Acesso e do Grupo Especial, entre 5 e 8 de fevereiro, e no Desfile das Campeãs, programado para o dia 13. Foram distribuídos 300 ingressos gratuitos por dia de desfile na frisa do Setor 13 para pessoas com deficiência que se inscreveram na prefeitura. Cada pessoa com deficiência terá direito a um acompanhante.

Fonte: JB

Coca-Cola lança latas com nomes em Braille.

Iniciadas na Coca-Cola Zero, as latas com nomes representaram um sucesso de vendas que se estendeu às tradicionais latinhas vermelhas da Coca-Cola comum.

Porém, infelizmente, a alegria de compartilhar o nome próprio ou de um amigo não pode ser sentida por deficientes visuais, pelos menos não até agora.

Pensando na democratização dessa experiência, a Coca-Cola levou a campanha “Share to Coke” para cegos através de uma máquina que customiza as latas com o alfabeto Braille.

A iniciativa aconteceu em parceria com o Comité Internacional ProCiegos, na Cidade do México.

Criada pela agência Anonimo, a máquina instalada no cinema da fundação pode ser usada por mais de cem estudantes cegos que, pela primeira vez, puderam ler seus nomes nas latinhas.

Pessoas que possuem parentes ou amigos com deficiência visual também puderam retirar uma lata para presentear os entes queridos.

As latas em Braille foram criadas especialmente para esta ação e, por ora, não serão comercializadas.

Fonte: http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/coca-cola-lanca-latas-com-nomes-em-braille

Brasil: Nova versão do Modelo de Acessibilidade é disponibilizada

Versão 3.1 foi desenvolvida pelo Planejamento em parceria com Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS)

A nova edição do Modelo de Acessibilidade de Governo Eletrônico (eMAG) foi disponibilizada nesta quinta-feira, 22, pelo Ministério do Planejamento (MP).
A versão 3.1 foi desenvolvida numa parceria deste ministério com o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS). O objetivo do eMAG é tornar os portais governamentais acessíveis para pessoas com deficiência.
Entre as novidades da versão 3.1 estão o capítulo “O processo para desenvolver um sítio acessível”, o uso do HTML5 e as diversas melhorias no conteúdo do texto para deixá-lo mais compreensível para os servidores públicos que atuam na construção de portais.
“Enquanto os sites do governo não forem de fácil acesso para todos, não conseguiremos atender toda a população brasileira. É urgente divulgar e ampliar o uso do eMAG”, disse Loreni Foresti, secretária de logística e tecnologia da informação.’
O eMAG é um conjunto de recomendações para tornar acessível a pessoas com deficiência os sítios e serviços eletrônicos federais, de forma padronizada e de fácil implementação.
Na elaboração do novo documento, foram consideradas as contribuições de especialistas e as novas pesquisas na área de acessibilidade à web, bem como as Recomendações de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) 2.0, do W3C. “As novidades foram estabelecidas com foco nas necessidades locais, visando atender as prioridades brasileiras”, complementa Foresti.
Cursos de educação a distância
Para capacitar profissionais no desenvolvimento, manutenção, adequação e alimentação de portais e sítios eletrônicos da administração pública, a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação disponibilizou os cursos de educação a distância: um para servidores que produzem conteúdo e outro para desenvolvedores. Os cursos já foram atualizados e seguem as orientações do eMAG 3.1.
Os cursos estão disponíveis sob licença Creative Commons para instituições e órgãos que queiram hospedá-los em seus ambientes de EAD. Para solicitar os cursos, basta preencher formulário disponível no Portal de Governo Eletrônico (gov.br)

Fonte:
http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2014/05/nova-versao-do-model..