Um projeto que antes parecia um anúncio miraculoso, hoje cria forma

Pesquisadoras do Centro de Referência de Oftalmologia (Cerof) da
Universidade Federal de Goiás (UFG), juntamente com a Universidade de
Harvard, desenvolveram um tratamento que pode curar a cegueira.

O desafio é a obtenção de uma célula que se desenvolva dentro do olho e
faça a reparação dos tecidos lesados. “Para recuperar a visão é feita
uma microcirurgia para implantar células-tronco embaixo da retina
degenerada. Depois de implantada, esse tipo célula consegue se
proliferar e fazer uma espécie de simbiose com aquelas que estão
danificadas. A partir daí se cria um novo conjunto de células que faz
com que a pessoa volte a enxergar”, explica o pesquisador e professor
titular de oftalmologia da UFG, Marcos Ávila. “É um avanço para a
medicina. Convivemos diariamente com pacientes que sofrem desse mal e
como ser humano fico muito contente de poder contribuir para esse
processo”, completa.

O estudo começou em 2011 a pedido da Shepens Eye Research Institute, que
integra a Universidade de Harvard em Boston, nos Estados Unidos. Os
cientistas queriam testes em um lugar com clima tropical e escolheram a
UFG para desenvolver a parceria. Os testes foram efetuados primeiramente
em animais. “Fizemos o procedimento em porcos. Os olhos foram analisados
em microscópios de alta resolução em vários métodos e o resultado é
bastante animador”, conta Àvila.

Tão animador que o estudo foi levado para o Food and Drug Administration
(FDA), uma espécie de Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
dos EUA. A UFG espera agora o aval da FDA para realizar um outro projeto
de pesquisa, mas agora em humanos. “Esperamos que essa autorização
ocorra nos próximos quatro meses”, relata o pesquisador.

No entanto, o pesquisador da UFG Marcos Ávila acredita que o processo de
cura para alguns tipos de cegueira pode demorar um pouco mais.
“Acreditamos que nas doenças hereditárias a aceitação será mais rápida,
mas em um patamar pouco acima das demais”, pontua.

Tipos de cegueira
Dois tipos de cegueira poderão ser beneficiados pelo tratamento.

A primeira é aquela causada por doenças hereditárias, quando as pessoas
nascem com o gene da cegueira. Em 2012 cientistas dos Estados Unidos
conseguiram identificar o gene que pode levar à cegueira definitiva.

Outro tipo comum da cegueira, denominada degeneração macular,
relacionada à idade, também será o alvo do estudo.

Anúncios

Um pensamento sobre “Um projeto que antes parecia um anúncio miraculoso, hoje cria forma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s